Muitos de nós somos levados a pensar no futuro começando pela questão “O que acontecerá no futuro?” ou então “Como será o futuro?“.

Perguntas lineares conduzem a pensamentos lineares, e sabemos que o mundo não é nada linear, e que as histórias se desdobram de forma não linear também. 

E se, tentássemos então, considerar o desenrolar da história em múltiplas dimensões, ou em uma gama mais ampla de resultados potenciais? Um espectro de possibilidades….

Podemos substituir a pergunta “O que acontecerá no futuro?” por “Quais são as possibilidades futuras?” ou ainda, “Considerando as mudanças em curso, quais são os possíveis desdobramentos futuros?”.

Fazendo perguntas diferentes podemos exercitar nossa mente para pensar de forma menos linear e restrita e, consequentemente, ampliar o olhar sobre o tempo e nossa relação com ele.

Indo mais além neste exercício, poderíamos perguntar: “E se imaginássemos a combinação de algumas das principais mudanças que estamos presenciando, qual seriam as possibilidades futuras e como eu poderia agir no presente para construir meu futuro preferido?

Um dos grandes valores do pensamento estruturado de futuros é desenvolver esse senso de ação, de construção. Tão importante quanto antecipar tendências futuras é exercitar a imaginação de realidades preferidas e planejar ações realistas para alcançá-las. 

E a boa notícia é que, apesar de ainda não ser tão popular no Brasil, existe uma disciplina e uma série de metodologias e ferramentas que podem nos ajudar a exercitar e expandir esse pensamento temporal de médio e longo prazo. Essa disciplina se chama Foresight

Foresight, na tradução literal, seria algo como “olhar para frente” ou “visão à frente”. No dicionário ela é traduzida como “previsão”. Mas como “previsão” não é exatamente o que fazemos, no Brasil, os praticantes de Foresight costumam manter o termo em inglês, sem tradução. Também é possível encontrar profissionais que utilizam o termo Prospectiva, ou ainda, em alguns casos, Futurismo. (Porém, nem todos os profissionais que praticam futurismo, necessariamente praticam Foresight.) Saiba mais sobre a diferença entre Futurismo, Foresight, Estudos de Futuros e Futures Thinking neste artigo.

Continuando com nossa elaboração de perguntas para abordar o futuro… Se todo o processo do Pensamento de Futuros fundamentado em Foresight tivesse que ser resumido em uma única pergunta sobre o futuro, acredito que essa pergunta seria mais ou menos assim:

Combinando algumas das principais forças de mudança que atuam no presente nas esferas social, tecnológica, econômica, ambiental e política, consciente da incerteza e da possibilidade de eventos de baixa probabilidade e alto impacto, qual seria o futuro provável, possível e plausível do domínio de estudo X, em um horizonte de tempo Y, e como eu ou minha organização podemos criar estratégias para aproveitar as oportunidades que irão emergir no curto prazo e construir futuros preferidos no longo prazo?

Ufa! Não é uma pergunta simples e de fácil resposta. A verdade é que não há resposta fácil, nem resposta pronta quando o assunto é o futuro, mas podemos utilizar conceitos, metodologias e ferramentas de Foresight para exercitar novas abordagens e nos relacionarmos com o tempo que está por vir de forma mais construtiva e sustentável.

Espero que este conteúdo tenha trazido algum insight ou reflexão sobre a sua forma de abordar o futuro.

Se você tem interesse em conhecer mais sobre Foresight acompanhe as postagens aqui no blog ou nas redes sociais e assine nossa newsletter. E se quiser buscar desenvolver as habilidades de Pensamento de Futuros fundamentado em Foresight, conheça nosso Lab de Futures Thinking

Thayani Costa

Thayani Costa

Fundadora da Futuros Plurais, praticante de Foresight Estratégico com especialização em Futures Thinking e facilitadora de experiências em Estudos de Futuros.