A maioria das pessoas concorda que o mundo está mudando num ritmo super acelerado. São diversas forças de mudança atuando em diferentes direções e nos exigindo mais flexibilidade e adaptação a novos contextos e novas demandas. 

Como podemos lidar melhor com esse mundo em intensa transformação? Como tomar melhores decisões e buscar harmonia com a mudança constante e acelerada deste tempo?

Há alguns anos venho investigando métodos, ferramentas e diferentes abordagens de inovação e transformação… Tive contato com metodologias incríveis, que vou compartilhar em outra oportunidade. Entre elas, os Estudos de Futuros, mais especificamente o Foresight, me conquistaram porque consegui reconhecer nessa disciplina formas práticas de expandir a percepção sobre o ritmo e a direção das mudanças do mundo, e de capacitar pessoas e organizações para agirem e gerarem transformações desejadas. 

Originado dos Estudos de Futuros e Foresight, o Futures Thinking (ou Pensamento de Futuros) é um termo utilizado para designar uma série de habilidades ou competências relacionadas ao futuro. Um mindset, que pode nos ajudar muito a lidar com esse tempo que estamos vivendo, de forma coletiva e individual.

O Pensamento de Futuros nos prepara para conviver com a mudança constante e, ao mesmo tempo, provocar mudanças de forma consciente.

Mas como isso acontece? A dinâmica das mudanças transcorre por duas vias: a mudança que acontece com a gente e a mudança que fazemos acontecer. 

O Foresight e o Pensamento de Futuros nos preparam para lidar melhor com a mudança que acontece com a gente (sejam elas previstas ou imprevistas), ao mesmo tempo em que nos capacita para fazer acontecer mudanças de forma mais consciente e sustentável.

O mundo em transição pede novas formas de pensar e agir

A realidade é subjetiva, ela é construída pela nossa maneira de perceber e processar as informações que estão ao nosso redor. Nossa forma de pensar, os pressupostos que são base para nossos pensamentos e ações foram, de alguma forma, aprendidos.

Mas então, será que podemos questionar os pressupostos e aprender a pensar de uma forma diferente, para agir de forma diferente, e então obter novos resultados, ou construir novas realidades?

Os pressupostos, as crenças e conceitos que geram nossa visão de mundo, quando atuam como uma base rígida do pensamento, nos fazem seguir perpetuando formas de agir e tomar decisões sem questionarmos se ainda fazem sentido. Quando somos impactados por mudanças, essa rigidez mental gera dificuldades, confusão e sofrimento. Por isso, desenvolver alguma flexibilidade mental é fundamental para aprendermos a lidar com tantas mudanças, sermos mais adaptáveis, criativos e tomarmos decisões assertivas e consistentes.

Praticar o Futures Thinking nos ajuda a questionar os paradigmas, as crenças e conceitos do presente, aqueles que estruturam nossa tomada de decisão.

É uma forma de desenvolver flexibilidade mental, adaptabilidade e criatividade. É possível, através do exercício de Pensamento de Futuros, ampliar perspectivas para resolução de problemas, identificar oportunidades e inspirar ações transformadoras de longo prazo. 

São habilidades e competências que geram impacto na dimensão individual e coletiva. Por esse motivo, a UNESCO declarou a Alfabetização de Futuros (ou Futures Literacy) uma competência essencial para o século XXI, e, desde 2012, vem promovendo e incentivando laboratórios de Alfabetização de Futuros ao redor do mundo. 

Na Futuros Plurais, promovemos laboratórios de Pensamento de Futuros. São encontros que combinam conteúdo e práticas individuais e em grupo, para facilitar sua jornada de desenvolvimento em Futures Thinking. Se você tem interesse em saber mais sobre este programa, entre em contato com a gente

Thayani Costa

Thayani Costa

Fundadora da Futuros Plurais, praticante de Foresight Estratégico com especialização em Futures Thinking e facilitadora de experiências em Estudos de Futuros.